Usina Ney Braga

A Usina Hidrelétrica Governador Ney Aminthas de Barros Braga é a segunda usina da Copel em potência instalada (possui capacidade de 1.260 MW). Está localizada no rio Iguaçu, a 2 km da montante da Foz do Rio Jordão, no município de Mangueirinha, a aproximadamente 285 km de Curitiba.

Foi inaugurada em 1992, quando começou a operar, tendo como marco fundamental o primeiro Relatório de Impacto Ambiental (Rima) no Brasil para uma usina hidrelétrica, elaborado e aprovado em 1987. Isto fez da Copel um modelo para as demais concessionárias de energia no Brasil com relação à preservação do meio ambiente. Praticamente toda sua construção transcorreu entre 1987 a 1991.

A usina, anteriormente denominada de Usina de Segredo, recebeu seu nome em homenagem ao Governador Ney Braga, que liderou o Paraná por duas vezes, de 1961 a 1965 e de 1979 a 1982. Ney Braga foi o grande responsável pela modernização do estado a partir dos anos 60. Entre suas obras estão a Rodovia do Café, que liga Curitiba a Londrina, e a construção de hidrelétricas. Seu último cargo público foi o de presidente do Conselho de Administração da Copel.

Informações técnicas

Os túneis de desvio com diâmetro de 13,5 m e comprimento variando de 661 a 778 m, foram iniciados em setembro de 1987 e concluídos em junho de 1988. As escavações para implantação do circuito hidráulico básico da usina – tomada de água, condutos forçados, casa de força e canal de fuga – foram iniciadas em setembro de 1988 e concluídas em dezembro de 1989. A montagem dos equipamentos iniciou-se pelos condutos forçados em outubro de 1989, estendendo-se até a inauguração da usina.

Com uma altura de 145 m e comprimento de 700 m, a barragem é do tipo enrocamento com face de concreto.

A casa de força é do tipo semi-abrigada, com quatro unidades geradoras de 315 MW cada. O sistema de comando e controle da usina e da subestação é do tipo convencional em nível local, e totalmente digital em nível centralizado.

A usina ficou totalmente pronta somente após a conclusão da Derivação do Rio Jordão, que consiste de uma barragem de concreto compactado a rolo represando o rio Jordão, permitindo desviar parte da vazão através de um túnel de 4.703 m de comprimento e de 9,5 m de diâmetro. Isso ocasiona um acréscimo de 10% na energia produzida pela usina.

Para mais informações sobre a usina, acesso a relatórios e estudos ambientais ou cópias de licenças, entre em contato por e-mail: comunicacao.get@copel.com.