Rede Elétrica Inteligente tem início em novas cidades

Publicado em 25 de agosto de 2021

Troca dos medidores teve início em Capanema e em breve começará em mais 8 cidades.

Ao atingir a marca de 28 mil medidores inteligentes instalados em Pato Branco, o programa Rede Elétrica Inteligente (REI), chega agora a novas cidades paranaenses: teve início em Capanema e, em breve, a troca de medidores começará também nas cidades de Pitanga, Planalto, Realeza, Ampére, Boa Ventura do São Roque, Pranchita, Santa Izabel do Oeste e Turvo.  

Um dos poucos programas de grande porte de modernização da gestão e da distribuição de energia elétrica em andamento no Brasil, o REI representa um investimento total de R$ 820 milhões. Ele faz parte do Transformação, lançado pela diretoria da Copel em 2019 com o objetivo de elevar o patamar de qualidade de distribuição de energia, reduzindo custos. 

Em sua primeira fase, cuja duração prevista é de 24 meses, ele vai atender 73 municípios das regiões Sudoeste e Centro-Sul. A segunda e a terceira fases, com duração de 30 meses, devem modernizar as regiões Oeste e Leste (Região Metropolitana de Curitiba). As três fases beneficiarão aproximadamente 1,5 milhão de residências e empresas urbanas e rurais.  Isso representa quase um terço de toda a base de clientes da Copel, ou 4,5 milhões de paranaenses, em 151 municípios. 

O PROGRAMA – Em todas as unidades consumidoras, os medidores atuais serão substituídos por medidores digitais, que se comunicam diretamente com o Centro Integrado de Operação da Distribuição da Copel, facilitando o controle desde a subestação até o consumidor final. Sem custo para o cliente, essa moderna tecnologia permite leitura de consumo à distância e os clientes poderão acompanhá-la no telefone celular, por meio do aplicativo da Copel.  

A rede inteligente também conta com sensores e dispositivos de controle à distância que permitem que ela se religue automaticamente. Nos casos em que eventualmente isso não ocorra, a Companhia poderá detectar e sanar problemas de desligamento a partir do Centro Integrado de Operação da Distribuição (COD), em Curitiba. Quando houver necessidade de intervenção de técnicos, será mais fácil localizar o ponto exato que gerou a queda de energia, agilizando o tempo para o restabelecimento.  

O presidente da Copel, Daniel Slaviero, lembra que o Rede Elétrica Inteligente é o maior programa do gênero em execução no Brasil e que ele atende aos três principais pilares da companhia: redução de despesas, investimento seguro e qualidade de energia para os clientes. “Com ele, vamos ampliar a qualidade de vida nos municípios e a segurança para o agronegócio e as indústrias”, completou.  

BENEFÍCIOS – A rede inteligente da Copel utiliza um modelo que já existe em países como os Estados Unidos e o Japão. O programa foi idealizado para melhorar a qualidade de energia e tornar as cidades cada vez mais inteligentes, permitindo acabar com furtos de energia, dar agilidade ao atendimento dos serviços, garantir gestão energética pelo consumidor e reduzir custos operacionais. 

Além disso, eles permitem a integração com programas municipais dentro do sistema de cidades inteligentes. “Os medidores inteligentes podem integrar serviços como microgeração distribuída, tecnologias de armazenamento de energia, controle da iluminação pública e abastecimento de carros elétricos”, explicou Maximiliano Orfali, diretor-geral da Copel Distribuição.  

HISTÓRICO – O programa Rede Elétrica Inteligente nasceu como projeto-piloto em 2018, em Ipiranga, nos Campos Gerais, abrangendo cinco mil unidades consumidoras nas áreas urbana e rural do município com ótimos resultados. Em 2019, a Copel inaugurou o Centro Integrado de Operação da Distribuição, em Curitiba, e adquiriu a solução ADMS, (Advanced Distribution Management System, ou Sistema Avançado de Gerenciamento de Distribuição), sistema para gestão de redes de energia. O investimento foi de R$ 60 milhões.  

Confira os principais benefícios para o consumidor  

  • Menos desligamentos e de menor duração: Monitorado de forma remota e integrado aos demais dispositivos de operação, o medidor inteligente permite à Copel localizar com precisão o ponto onde ocorreu o desligamento na rede, isolar o defeito e enviar rapidamente uma equipe para o local do problema.   
  • Religação automática: O programa é composto de sistemas de reconfiguração de rede (religadores automáticos) e reguladores de tensão em tempo real que se integram aos sistemas de informação e têm potencial para integrar outros serviços no futuro, como microgeração distribuída, tecnologias de armazenamento de energia, iluminação pública inteligente e abastecimento de carros elétricos.   
  • Controle do consumo: O medidor inteligente fornece ao cliente informações para subsidiar o controle do consumo pelo aplicativo da Copel, mostrando, por exemplo, quais equipamentos estão influenciando mais no gasto de energia.   
  • Leitura à distância: A leitura do consumo nas residências será feita de forma remota e automática.   
  • Qualidade da energia: O medidor também permite à Copel monitorar a qualidade do fornecimento às unidades consumidoras a partir de variáveis como tensão, corrente e potência, antecipando possíveis falhas.