Mutirão promoveu inspeção e limpeza das redes

Publicado em 16 de agosto de 2021

O último sábado (14) foi de intenso trabalho para as equipes da Copel, que atuaram em um mutirão de manutenção preventiva nas redes elétricas, com o objetivo de reduzir desligamentos de energia no período mais chuvoso do ano. A  terceira edição do chamado “Dia D” teve cerca de 2 mil trabalhadores em campo, em 79 municípios de todo o Paraná. Foram realizadas mais de 5 mil podas de árvores, roçados quase 3 mil pontos sob redes e linhas de energia, e retirados objetos estranhos em 129 localidades.

Em Maringá, os resíduos da poda de árvores foram destinados à horta do programa Cultivar Energia na Vila Esperança. O voluntário Hideo Ono comentou que a presença de madeira no material triturado aumenta o valor para cobertura dos canteiros, devido à decomposição mais lenta. “Nós já usamos um composto apenas com folhas trituradas aqui, mas dura pouco; este triturado com os galhos é bem melhor para a proteção do nosso cultivo”, comentou.

Já a retirada de objetos estranhos da rede privilegiou os pontos em que a presença de pipas e outros elementos ofereciam risco ao fornecimento. Em Londrina, uma equipe esteve no Conjunto Maria Cecília para fazer a retirada das pipas e a emenda de um cabo que estava com risco de rompimento, devido ao atrito do cerol com os cabos de média tensão.

A manutenção preventiva das redes contemplou ainda a troca de 13 transformadores, troca e manutenção de 38 postes, e a instalação de 994 espaçadores na rede. Outros 3,5 mil serviços incluíram a atualização de baterias em equipamentos de automação, manutenção em subestações e em componentes da rede, como chaves, isoladores e conexões.

Na capital do Estado, o Parque Tingui teve a troca de transformadores isolados com óleo mineral por equipamentos com vegetal biodegradável, a fim de evitar o risco de contaminação do solo no caso de um abalroamento de poste, por exemplo. Já em Mandaguari, na região Noroeste, as equipes estiveram na subestação da cidade para realizar manutenções e a reposição de cabos recentemente furtados na unidade.

As ações de manutenção preventiva, somadas a investimentos em tecnologias para a automação das redes, vêm contribuindo para a melhora nos indicadores de qualidade do fornecimento pela distribuidora, que no ano passado atingiu o melhor resultado de sua história. Segundo o superintendente de Serviços Operacionais da Copel, Marcelo Gonçalves Santos, o objetivo do mutirão foi cumprido, e servirá para que o período chuvoso tenha menor impacto para os clientes: “Temos um período de eventos climáticos mais severos entre setembro e fevereiro. Então, preparamos as redes e já ficamos em prontidão para atravessar este período com o mínimo de desligamento possível”, explica.